Ester Chaves

Fique com alguém que valoriza seus esforços

Alguns relacionamentos são verdadeiras ciladas. Só um parceiro abre mão e exerce a tolerância. Só um parceiro pede perdão mesmo não sendo culpado. Enquanto este último torce para a discussão acabar, o outro faz questão de desenterrar uma briga do passado e iniciar uma verdadeira evocação aos mortos, que retornam numa reprise complexa, onde é preciso novamente explicar, dar nomes, se cansar e sangrar do corte quase adormecido. Leia mais

Mallu Navarro

Relatos de um orgulhoso arrependido

Eu não sei me expressar muito bem, nunca fui bom com palavras. Bom mesmo eu sou em sufocá-las, em agir como se não me importasse, em olhar adiante fingindo não lembrar do que me ocorreu.

Não me orgulho disso, mas é a maneira que sei lidar com meus sentimentos. Entretanto, às vezes, a vida te pega pela mão e esfrega algumas verdades na cara. Leia mais

Ester Chaves

O tempo parou e eu quis segurar sua mão

A nossa conversa não tinha acabado quando houve uma pausa. Parece que o mundo parou ali. Talvez estivesse suspenso nas bordas de uma xícara de café. Talvez a sede tenha feito você se levantar e, adivinhando os seus movimentos, também me levanto, me dirijo até a cozinha, pausadamente, como quem levita. Leia mais

Brendow H. Godoi

A vida é um boxeador mexicano te jogando nas cordas do ringue

No céu azul esquálido, nenhuma nuvem sequer. Um céu liso, denso. O sol invadia diretamente o Uno 95 no semáforo fechado. Ele tentava se refrescar de alguma forma. Agitava compulsivamente o uniforme desbotado da firma. O suor lhe escorria pelo pescoço, encharcava-lhe o peito peludo e gerava um atrito viscoso entre a barriga protuberante e o cinto apertado. Sentia-se um porco carneado, assando aos poucos, pelo sol do dia e pela tempestade que morava dentro da noite do seu coração. De fato, não sabia o que o incomodava mais: O clima atroz de fora, ou o de dentro. Antes que se torturasse pensando nessa e em outras questões, Deus lhe fez um favor e abriu o sinal. Ele arrancou, mas o Uno morreu. Os carros buzinaram atrás. Reviveu o motor uma, duas, três vezes. Na quarta, ele afundou o pé e saiu cantando pneu, sem saber ao certo pra onde iria. Leia mais

Pedro Silva

Carta dedicada a todos os corações vazios

A depressão vem a ser caracterizada como um distúrbio emocional. As estáticas afirmam que de cada cinco pessoas, pelo menos uma apresentará as características que se enquadram perfeitamente à depressão. O que parando pra pensar, é um número muito alto. Mas o que é a sua definição ou as estáticas, quando se trata dessa avalanche de sentimentos mal desejados que sentimentos, não é? Leia mais

Mallu Navarro

Ele mudou ou só está mostrando quem realmente é?

É incrível como em algumas semanas, aquele que considerávamos parte de nós, se torna um desconhecido. Fazendo tudo que dizia não apreciar, adotando hábitos que julgava negativamente, levando uma vida que há alguns meses considerava vazia e imatura.
E aí, é claro que a gente se pergunta: quem é esse cara?
Ele pirou ou só tirou a máscara? Ele precisa de ajuda ou de uns bons tapas? Leia mais

Pedro Silva

Criador da página apodrecendo lança livreto artesanal

Imagina ter em suas mãos um material publicado em forma de texto daquele artista que você admira, feito à mão e com o conteúdo que fala, nada mais nada menos, tudo o que você já costuma gostar daquele autor? Isso é um zine: uma espécie de livreto básico, independente e, muitas vezes, com aspecto artesanal. Leia mais

Ester Chaves

O frio é o cupido atento que se aproveita da fragilidade dos corpos para aproximar as almas

O frio é um convite para encurtar distâncias. Uma bela desculpa para reconciliação depois de um mal-entendido. Quando o casal briga num dia comum, onde a temperatura não ameaça, o marido já acampa no sofá, voluntariamente, sem cogitar a possibilidade de prolongar a conversa. Sabe que depois do erro, ficará uma lacuna que só será superada após algumas horas de solidão da mulher. Leia mais

Mallu Navarro

Não seja uma âncora na vida de alguém

Fico incrédula com a quantidade de casais infelizes que permanecem juntos. Parece que estão amarrados a algo que os impede de se separarem. Alguns tolos dizem que é o amor que sentem, ora, me poupem, onde há amor, há alegria e satisfação ou no mínimo consideração para deixar o amado livre para ser feliz como bem entender. Leia mais