Brendow H. Godoi

Mais uma vez

Mais uma vez, você reapareceu. E como sempre, eu te aceitei de volta. Mais uma vez, eu interrompi todo aquele processo de te esquecer e me amar mais. Mais uma vez, eu abri o meu coração como se fosse um diário e escancarei toda a saudade que eu senti de você durante o seu último “preciso de um tempo pra pensar”. Leia mais

Brendow H. Godoi

A vida é um boxeador mexicano te jogando nas cordas do ringue

No céu azul esquálido, nenhuma nuvem sequer. Um céu liso, denso. O sol invadia diretamente o Uno 95 no semáforo fechado. Ele tentava se refrescar de alguma forma. Agitava compulsivamente o uniforme desbotado da firma. O suor lhe escorria pelo pescoço, encharcava-lhe o peito peludo e gerava um atrito viscoso entre a barriga protuberante e o cinto apertado. Sentia-se um porco carneado, assando aos poucos, pelo sol do dia e pela tempestade que morava dentro da noite do seu coração. De fato, não sabia o que o incomodava mais: O clima atroz de fora, ou o de dentro. Antes que se torturasse pensando nessa e em outras questões, Deus lhe fez um favor e abriu o sinal. Ele arrancou, mas o Uno morreu. Os carros buzinaram atrás. Reviveu o motor uma, duas, três vezes. Na quarta, ele afundou o pé e saiu cantando pneu, sem saber ao certo pra onde iria. Leia mais