Jey Leonardo

Mas você não estava lá

Hoje eu senti saudades. Hoje eu achei difícil seguir.

Senti vontade de chorar, não consegui segurar as lágrimas, e não tentei.
Não evitei o choro silencioso enquanto a dor perfurava meu peito com a mais dolorosa saudade.

Não posso esquecer a batida que o meu coração pulou ao imaginar ter te visto.
Aquela batida que só veio afirmar que mesmo após meses sem te ver, nada mudou.

Não posso esquecer todas as vezes que você sorriu comigo e por mim.
Nunca vi um sorriso mais lindo!

E todas as vezes em que nossas vidas se pareceram tanto, e que parecemos tão iguais, e os momentos que parecíamos um só, jamais sairão da minha mente.
A forma como você me curou e me deu esperanças, apesar de a atual dor latente seguir em mim.

A sua honestidade e o seu caráter me conquistaram mais do que qualquer momento fofo ou terno beijo.
E aquele dia em que ficamos até as 4 da manhã conversando no banco da praça, como dois adolescentes, nos conhecendo e nos beijando, foi um dos dias mais bonitos e puros da minha vida.

E em um fim de tarde eu voltei aquele lugar.
Me sentei naquele mesmo banco.
Mil memórias invadiram minha mente, incontáveis lágrimas surgiram em meus olhos do meu coração cheio de saudade.
Aquele sentimento bonito ainda estava ali, intacto.

Mas você não estava lá.
E você não está aqui agora, não além desse vazio que me consome.

Grazielle Scharenberg

Leia mais em Vigor Frágil